MEC elimina 21 candidatos por postarem fotos nas redes sociais

prova_720

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) informou que, até as 15h, 21 candidatos foram eliminados por postar imagem do cartão resposta do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em redes sociais. Algumas fotos foram postadas minutos antes do início da prova.

Pelas regras do Enem, não é permitido o uso de eletrônicos no local de prova e nem postar fotos do exame. Os portões abriram às 12h e o exame começou a ser aplicado às 13h, pelo horário de Brasília. Ao chegar na sala de aula, o candidato é orientado a colocar aparelhos eletrônicos, como celular e tablet, em um envelope lacrado, que deverá ficar embaixo da carteira durante toda a prova. O celular deve estar desligado.

Em uma busca rápida pela palavra Enem nas redes sociais, é possível ver uma série de publicações de fotos e diálogos entre pessoas que supostamente estão fazendo prova. O Inep diz que cada caso será analisado. Um usuário aproveita o celular para tirar uma dúvida: “Gente, rapidinho aqui, alguém lembra a fórmula pra calcular a força de polias duplas?? #ENEM”. Outra usuária fez a postagem com o objetivo de ser eliminada: “Gente, tô aqui no Enem e não sei nada me elimina alguém por favor #meelimina #enem #naoseinada”.

Nessa sexta-feira (25), o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, reforçou o alerta sobre uso de aparelhos eletrônicos na prova, o que é proibido. “No ano passado, identificamos usuários em questão de minutos”. Em 2012, 65 candidatos foram eliminados por postarem imagens de fotos da prova e mensagens com conteúdo do exame.

A intenção, explica o ministro, é garantir que os candidatos façam a prova em condições iguais, que não haja vazamento de questões ou de respostas. Além do celular, não é permitido uso de lápis, caneta de material não transparente, lapiseira, borracha, livros, manuais, impressos, anotações e dispositivos eletrônicos.

prova2_720

Neste sábado, mais de 7,1 milhões farão o exame em 1.161 cidades. A prova começou a ser aplicada às 13h, horário de Brasília. Os candidatos terão quatro horas e trinta minutos para fazer o exame. Serão 90 questões de ciências humanas (história, geografia, filosofia e sociologia) e de ciências da natureza (química, física e biologia).

Os gabaritos das provas serão divulgados até o dia 30 de outubro, no endereço www.enem.inep.gov.br. O serviço de atendimento ao cidadão funcionará no final de semana das 8h às 20h, pelo telefone 0800-616161.

Fonte: Agência Brasil

Como as rede sociais ajudam o melhorar o sistema de saúde?

Mídias sociais ajudam a mapear problemas de saúde pública, mas também espalham boatos que prejudicam o andamento de ações como campanhas de vacinação. Especialistas alertam para a “dosagem” no uso dessa ferramenta.

Wanda Phelloner, da Zâmbia, teve malária aos seis anos de idade. “Fui para o hospital, precisei de cuidados. Mas eles não tinham os medicamentos certos”, contou três anos mais tarde para uma funcionária de uma entidade humanitária. Wanda recuperou a saúde, mas em muitos países africanos mesmo doenças bastante pesquisadas e com cura possível, como a malária, ficam sem tratamento.

Os remédios existem, mas geralmente não estão disponíveis para as pessoas que precisam – farmácias ou unidades locais de saúde não possuem esses produtos em estoque.

Mapeamentos para evitar a falta de remédios

Em 2009, organizações não-governamentais africanas começaram uma campanha para que a falta desses medicamentos importantes fosse protocolada. Em apenas cinco dias, foram identificadas mais de 250 casos no Quênia, Malawi, Uganda e Zâmbia.

Voluntários foram aos locais verificar os estoques de medicamentos. As informações foram enviadas por mensagem de celular aos organizadores da plataforma stopstockouts.org. O site mapeia os dados e mostra onde cada tipo de medicamento está disponível e em que quantidade – e qualquer pessoa pode acessar as informações pela internet.

“Antes dessa iniciativa, de acordo com os governos, não havia faltas de estoque”, explicou Daudi Were. Ele trabalha em Nairobi para a empresa Ushahidi e participou do desenvolvimento da plataforma de dados. “Desde então, podemos confrontar os fatos. Agora é possível discutir as causas da falta de medicamentos. É falta de dinheiro? Há problemas na entrega ou na distribuição? Os envolvidos podem falar agora de forma muito mais concreta com o governo.”

Projetos como o stopstockouts.org usam um princípio conhecido como crowdmapping. Ele oferece a oportunidade de organizar e visualizar dados e saber quem inseriu a informação. Um recurso é particularmente importante na área de saúde pública. “As pessoas da própria localidade sabem que farmácias não têm um medicamento. Os governos têm a chance de usar essa informação para tornar a organização da distribuição mais eficiente”.

Do Deustche Welle – DW

Embratur lança nova Campanha turística sobre o Brasil

O Ministério do Turismo lançou na última quarta feira, 23,  a nova campanha para promoção do Brasil no exterior. O vídeo traz referências da cultura e do cotidiano brasileiro, com destaque ao Rio de Janeiro e aos novos estádios para Copa do Mundo de 2014.

O Vídeo será exibido em diversos países, entre eles: Estados Unidos, Chile e Alemanha. A expectativa é atrair e cativar mais turistas durante os meses do evento.

Atualmente o Brasil tem tido dificuldades de atrair novos turistas. Ano a ano o número de turistas que chegam ao país fica em torno de 5 milhões de pessoas, número considerado razoável para um país que tem um grande potencial turístico.

Brasil e Alemanha se unem na ONU por texto sobre privacidade online

Brasil e Alemanha trabalham juntos em um projeto de resolução a ser apresentado na Assembleia Geral das Nações Unidas, que tem como objetivo manifestar o descontentamento internacional com a espionagem eletrônica feita pelos Estados Unidos em outros países, informaram diplomatas nesta sexta-feira (25).

A resolução não mencionaria os Estados Unidos e pediria uma ampliação do Pacto Internacional sobre os Direitos Civis e Políticos para as atividades na Internet, adotado em 1966.

“Os diplomatas brasileiros e alemães se reuniram com representantes da Europa e da América Latina hoje para discutir um rascunho de resolução”, disse à France Presse um diplomata da ONU envolvido nas negociações e que pediu para não ser identificado.

“O objetivo é enviar uma mensagem para aqueles que abusam do sistema”, acrescentou a mesma fonte.

Esta semana, o governo alemão manifestou seu profundo mal-estar com a notícia de que o telefone celular da chanceler Angela Merkel poderia ter sido grampeado pela inteligência americana. A notícia provocou indignação na comunidade de países europeus.

No mês passado, a presidente Dilma Rousseff cancelou uma visita de Estado aos Estados Unidos após a veiculação na imprensa de que suas comunicações estariam sendo monitoradas por Washington.

Dilma já havia anunciado que o Brasil apresentaria na ONU uma medida voltada para a privacidade online.

O Pacto sobre Direitos Civis e Políticos entrou em vigor em 1976, muito antes do uso generalizado da internet.

Brasil e Alemanha querem estender ao ciberespaço uma provisão desse pacto, segundo a qual “ninguém deve ser submetido à interferência arbitrária ou ilegal no que diz respeito à sua privacidade, família, lar, ou correspondência, nem a ataques ilegais à sua honra, ou reputação”.

Ambos os países pretendem enviar o texto para um comitê dedicado aos direitos humanos na organização.

ENEM 2013: Segundo Ministro, candidato que tirar e postar fotos do Enem será eliminado

Mercadante e Luiz Claudio Costa deram as últimas orientações para o Enem 2013 (Foto: Juliana Braga/G1)

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, alertou nesta sexta-feira (25) que o governo vai monitorar as redes sociais para identificar e excluir os candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que usarem o celular dentro das salas de prova para publicar na internet fotos e outras informações sobre o exame. “Não tentem postar imagem no início do exame, porque você vai ser identificado, acredite nisso”, afirmou Mercadante. O Enem será neste sábado (26) e domingo (27) para mais de 7,1 milhões de candidatos inscritos.

O ministro lembrou que em 2012 o MEC expulsou 65 candidatos que postaram nas redes sociais fotos do cartão de respostas e da sala de provas, mesmo que em nenhuma delas havia fotos das questões da prova. “Nós temos um monitoramento bastante eficiente, muito detalhado e ano passado em questões de minutos identificávamos quando o candidato postava uma foto e ele era retirado da prova e tinha sua prova anulada. Vamos manter esse acompanhamento.”

O governo nega, entretanto, que pratica a espionagem dos dados pessoais dos candidatos. “Nosso trabalho aqui não é tão eficiente quanto o do Obama, mas é bom. E é uma razão republicana, preservar o exame. Não estamos espionando a vida de ninguém. Nós só queremos que o exame seja feito nas mesmas condições por todos.” Mercadante diz que o monitoramento das redes sociais identifica apenas as informações divulgadas publicamente pelos candidatos e “não viola os direitos de quem quer que seja”.

Recomendações
O ministro da Educação recomendou aos estudantes que eles tenham tranquilidade para fazer as provas neste fim de semana, mas que “prestem atenção nas recomendações que o MEC e o Inep estão fazendo para as provas de amanhã e domingo”. Veja a seguir os cuidados que o ministro recomendou as candidatos:

Horário: “É muito importante os estudantes chegarem com antecedência, com tranquilidade, para não ter nenhum imprevisto, para a gente não ver aquelas cenas que ocorrem todos os anos daqueles que nao foram precavidos e chegaram atrasados”, afirmou Mercadante. Os portões serão fechados às 13h do horário de Brasília, e os candidatos que farão a prova em estados com fuso horário diferente devem ficar atentos ao horário local do Enem.

Fotos de cartões de respostas do Enem foram postadas nas redes sociais (Foto: Reprodução)Fotos de cartões de respostas do Enem foram
postadas nas redes sociais (Foto: Reprodução)

Documentos: “A outra coisa que é indispensável é o documento para fazer o exame”, alertou. Segundo ele, todos os candidatos devem apresentar um “documento oficial com fotografia” para poder ter acesso à prova. Entre os documentos aceitos Mercadante citou o RG, a carteira de ordem ou de um conselho de classe, desde que tenha validade, o certificado de reservista, o passaporte, a carteira de trabalho, a identidade funcional ou a identidade de estrangeiros, expedida pelo Ministério de Relações Exteriores. Segundo o ministro, quem perdeu ou teve os documentos furtados pode apresentar um Boletim de Ocorrência expedido no máximo até 90 dias antes do Enem.

Caderno de provas: Mercadante lembrou que os candidatos só poderão sair da sala de provas com o caderno do exame quando faltarem 30 minutos para o prazo final da prova. Ele lembrou ainda que só será permitido sair da sala duas horas após o início da prova. “Ele vai ter que ficar duas horas no mínimo para fazer a prova, e se ele quiser levar a prova, o caderno de questões, para fazer uma análise depois do exame, esó poderá levar faltando 30 minutos para o fim do exame.”

Prova de redação: Ao ser questionado sobre as mudanças do edital em relação à prova de redação, o ministro afirmou que os candidatos “já receberam o Guia da Redação”, que tem, segundo ele, “exemplos das boas práticas”. Neste ano, a principal mudança é a maior rigidez com todas as formas de deboche identificadas pelos corretores, que a partir deste ano renderá ao candidato a nota zero. “Nós seremos bem rigorosos com essas questões.”