Brasil tem o 3º maior crescimento do mundo em 2013

gt

Entre uma lista de países selecionados e apresentados pelo IBGE, o crescimento da economia brasileira em 2013 aparece como o terceiro maior, atrás apenas da expansão de 7,7% da China e de 2,8% da Coreia do Sul.

Atrás do Brasil, aparecem os Estados Unidos, Reino Unido e África do Sul (todos com expansão de 1,9%), Japão (1,6%), México (1,1%), Alemanha (0,4%), França (0,3%) e Bélgica (0,2%).

Dados do FMI, no entanto, apontam que outros países tiveram crescimento superior ao brasileiro: a Índia, por exemplo, cresceu 3,8%; Bolívia, 5,4% e Costa Rica, 3,5%.

A economia brasileira cresceu 2,3% em 2013, acima da alta de 1% no ano anterior. A alta teve  forte influência do desempenho da agropecuária, que teve expansão de 7% – a maior desde 1996. Em valores correntes (em reais), a soma das riquezas produzidas em 2013 chegou a R$ 4,84 trilhões e o PIB per capita (por pessoa) atingiu R$ 24.065.

Nos últimos três meses de 2013, o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 0,7%, depois de uma contração de 0,5% no terceiro trimestre.

Anúncios

Eike passa a ser 3º mais rico do Brasil em ranking da Bloomberg

O empresário Eike Batista caiu para o posto de 3º bilionário mais rico do Brasil no ranking da Bloomberg, após “perder” US$ 6,8 bilhões de sua fortuna em um só dia, segundo novos cálculos da Bloomberg divulgados nesta sexta-feira (14).

No dia 12, Eike ocupava a 36ª posição, com uma fortuna de US$ 19,5 bilhões. Agora, Eike ocupa o posto de 73º mais rico do mundo, com um patrimônio avaliado em US$ 12,7 bilhões, atrás de Jorge Paulo Lemann, investidor da Anheuser-Busch InBev, e de Dirce Camargo, herdeira do setor de construção civil.

Economia brasileira cresce 0,2% no 1º trimestre de 2012, diz IBGE

A economia brasileira mostrou alta de 0,2% no primeiro trimestre (de janeiro a março) de 2012 sobre os três últimos meses de 2011, segundo informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira (1º). Em valores correntes, a soma de todas as riquezas produzidas pela economia no período alcançou R$ 1,03 trilhão.

No quarto trimestre de 2011, o PIB havia mostrado o mesmo ritmo de crescimento sobre os três meses anteriores, de 0,2%. Nos últimos quatro trimestres, o PIB acumulou crescimento de 1,9% em relação aos quatro trimestres anteriores, resultado que mantém a trajetória de desaceleração observada desde o 4º trimestre de 2010.

A previsão do Banco Central era de que o crescimento da economia no primeiro trimestre, em relação ao imediatamente anterior, fosse de 0,15%, de acordo com o Índice de Atividade Econômica do BC, o IBC-Br – um indicador criado pela autoridade monetária para tentar antecipar o resultado do PIB.

Variação trimestral do PIB (Foto: Editoria de arte/G1)

Setores
De acordo com o IBGE, no primeiro trimestre deste ano o maior destaque partiu da indústria, que mostrou crescimento de 1,7%, seguida pelo setor de serviços, com alta de 0,6%. O pior desempenho ficou com a agropecuária, que caiu 7,3% nos três primeiros meses de 2012.

“Com desempenho bom no ano passado, a safra de soja sofreu este ano com a estiagem no Sul e no Nordeste, e a estimativa é de queda de 11,4% na quantidade produzida de soja no ano. Haverá queda na produtividade também, uma vez que a área plantada de soja deve crescer 3,4%”, disse Rebeca de La Rocque Palis, gerente da Coordenação de Contas Nacionais do IBGE. De acordo com ela, o mesmo aconteceu com as safras de arroz e fumo. A expectativa é de queda de 13,8% na produção de arroz no ano e queda de 15,9% na quantidade produzida de fumo. A estimativa é do levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) do IBGE.

A formação bruta de capital fixo – que sinaliza os investimentos na economia – recuou 1,8%

Na comparação entre o primeiro trimestre deste ano e o quarto de 2011, o crescimento da indústria foi puxado pela indústria de transformação, segundo o IBGE, com expansão de 1,9%. No setor de serviços, os maiores destaques foram vistos nas atividades de administração, saúde e educação pública, comércio e transporte, armazenagem e correio.

Pela análise do gasto, a despesa do governo cresceu 1,5% e o consumo das famílias, 1,0%. Já a formação bruta de capital fixo – que sinaliza os investimentos na economia – recuou 1,8%. As importações de bens e serviços cresceram 1,1% – acima das exportações, que tiveram alta de apenas 0,2%.

PIB sob ótica de oferta e demanda (Foto: Editoria de arte/G1)

Comparação com 2011
Em relação ao primeiro trimestre do ano passado, o PIB cresceu 0,8%. O pior resultado foi registrado pela agropecuária, que caiu 8,5%. “Alguns produtos da lavoura, que possuem safra relevante no 1º trimestre, registraram queda nas estimativas de produção anual e produtividade”, disse o IBGE, em nota.

A indústria registrou leve alta de 0,1%, número considerado estável pelo IBGE. A indústria de transformação recuou 2,6% – queda puxada, principalmente, pela redução da produção da indústria automotiva, de máquinas e equipamentos, metalurgia, borracha e plástico, máquinas, aparelhos e materiais elétricos e artigos do vestuário e calçados.

selo PIB países (Foto: Editoria de Arte/G1)

O melhor resultado nesse tipo de comparação ficou com o setor de serviços, que cresceu 1,6%. Todas as atividades desse ramo tiveram alta, mas o destaque ficou com serviços de informação, com alta de 4,1%.

Nesse mesmo tipo de comparação, o consumo das famílias aumentou 2,5%, a 34ª alta. O IBGE atribui o resultado principalmente aos salários dos trabalhadores, que subiram 6,5%.

Já a formação bruta de capital fixo recuou 2,1% nessa análise, puxada pela queda da produção interna de máquinas e equipamentos. No mesmo período, a despesa de consumo da administração pública avançou 3,4%, as exportações cresceram 6,6% e as importações, em um ritmo menor, de 6,3%.

“A desvalorização cambial explica o maior crescimento das exportações. Os bens que mais contribuíram para esse resultado foram têxteis, metalurgia, material elétrico, peças para veículos, produtos químicos e mobiliário. Dentre as importações, destaque para siderurgia, farmacêuticos, perfumaria, aluguel de equipamentos e viagens internacionais”, explicou o IBGE.

GI.COM

Primeiro petroleiro nordestino parte de PE para a Bacia de Campos, em SP

Navio João Cândido parte do Estaleiro (Foto: Reprodução/TV Globo)Navio João Cândido parte do Estaleiro (Foto: Reprodução/TV Globo)

Foi em grande estilo a partida do navio João Cândido, por volta do meio-dia desta sexta-feira (25), no cais de acabamento do estaleiro Atlântico Sul, em Suape, na Região Metropolitana do Recife. O João Cândido é o primeiro navio construído no Nordeste para o programa de modernização e expansão da frota da Transpetro. Em um palco, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, os presidentes da Petrobras, Graça Foster, e da Transpetro, Sérgio Machado, acionaram um botão que fez soar uma sirene, liberando a partida, ao som de fogos de artifício.

O petroleiro tem 274 metros de comprimento e capacidade de transportar um milhão de barris de petróleo – é o maior em operação do Brasil de acordo com a Transpetro. A embarcação está dotada de modernos instrumentos de navegação.

O cais do estaleiro Atlântico Sul ficou cheio de operários que trabalharam na construção do navio – eles tiraram fotos e se disseram orgulhosos. O governador Eduardo Campos reclamou das críticas com relação ao atraso de quase dois anos para a entrega do navio. Com o João Cândido no mar, a Transpetro espera que os próximos navios encomendados fiquem prontos dentro do prazo.

A embarcação parte com uma tripulação de 25 pessoas. “A gente vai desastracar de Suape e segue para carregamento na plataforma P-38, na Bacia de Campos, em São Paulo. Vamos carregar petróleo, destinado ao porto de São Sebastião, onde a Transpetro tem um terminal para abastecer as refinarias de São Paulo”, explica o comandante do navio, Carlos Augusto Müller, da Transpetro.

‘Prévia’ do PIB aponta alta de 0,15% no 1º trimestre, diz Banco Central

O nível de atividade econômica do país registrou queda pelo terceiro mês seguido, de 0,35%, em março deste ano, na comparação com o mês anterior, informou nesta sexta-feira (18) o Banco Central.

Com isso, o Índice de Atividade Econômica do BC, o IBC-Br, que é um indicador criado para tentar antecipar o resultado do PIB pela autoridade monetária, fechou o primeiro trimestre de 2012 com alta de 0,15% ante o trimestre anterior. Isso mostra desaceleração frente ao crescimento de 0,19% do terceiro para o quarto trimestre do ano passado.

Na comparação com o primeiro trimestre de 2011, porém, a elevação foi de 1,06%, segundo números da autoridade monetária. Neste caso, a comparação foi feita sem ajuste sazonal – considerada mais apropriada por economistas

A previsão oficial do governo para o crescimento da economia brasileira neste ano, que consta no orçamento de 2012, está, até o momento, em 4,5%. Para o BC, porém, o crescimento será de 3,5% neste ano. Já o mercado financeiro projeta uma expansão da economia de 3,20% em 2012.

Bom para o Brasil: Fábrica de caminhões chinesa investirá R$ 1 bilhão em Pernambuco

Foto: Imagem da internet

A Assessoria do Governo de Pernambuco confirmou na manhã desta quarta-feira (09) que o Estado produzirá caminhões da marca Shacman a partir de 2013. O governador Eduardo Campos conseguiu concretizar o investimento de R$ 1 bilhão, após visita a uma das fábricas da estatal chinesa Shaanxi Automobile Group (SAG).

Para o governador, a conquista da fábrica consolida o polo automotivo de Pernambuco e ajuda a manter o crescimento da economia do estado. “O grande trabalho é para que, em vez de só comprar produtos da China e gerar empregos aqui, a gente possa levar empresas chinesas para gerar empregos em Pernambuco”, disse Eduardo, em entrevista repassada por sua assessoria.

CARUARU – A fábrica será a primeira do complexo industrial automotivo para fabricação de caminhões e ônibus, que será instalado em Caruaru, às margens da BR-104. Ela irá produzir cinco modelos de caminhões que juntos somam 20 configurações. De olho na crescente demanda pelos veículos do tipo BRT (Bus Rapid Transit), a planta também construirá chassis e carrocerias para ônibus.

“O mais importante é que eles pretendem alcançar mais de 65% de nacionalização e, para isto, devem fabricar também os motores, a transmissão e os eixos para caminhão e ônibus em Pernambuco”, adiantou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Geraldo Júlio. A Shacman já possui uma central de distribuição no Porto do Recife.

A expectativa é de que sejam gerados mais de mil empregos diretos na operação da fábrica. Os caminhões pesados e extra-pesados produzidos no Agreste pernambucano serão distribuídos para toda a América do Sul. As obras de construção da planta industrial começam ainda este ano e vão durar cerca de dez meses. Depois disso, a previsão da companhia é que sejam fabricados inicialmente 10 mil veículos por ano. Número que deve dobrar até 2017.

BUSCA DE MAIS NEGÓCIOS – Eduardo Campos também visitou a fábrica da Fast Gear, outra empresa que pertence à SAG. A unidade é a maior produtora de transmissões para caminhões e ônibus do mundo e responde por 92% do mercado chinês. Sua capacidade de produção é de 1,2 milhão de conjuntos por ano. Amanhã a comitiva irá conhecer a fábrica de ônibus da holding chinesa.

ESCOLHA POR PERNAMBUCO – As negociações da Shacman com o Governo de Pernambuco foram iniciadas em outubro do ano passado através da Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper). Além do estado, a montadora avaliou opções em São Paulo e no Ceará.

Foto: Imagem da internet

Em dezembro, uma comitiva formada por empresários brasileiros e chineses reuniu-se com o governador Eduardo Campos para tratar da consolidação do negócio. O passo seguinte foi a ida do grupo a Caruaru para a escolha do terreno. A área tem 220 hectares e já foi desapropriada. Em fevereiro, representantes do Governo do Estado foram à Shaanxi conhecer as fábricas do grupo e dar continuidade à negociação.

O Governo do Estado concederá incentivo fiscal de 95% sobre o saldo devedor do ICMS, segundo as regras do Programa de Desenvolvimento do Setor Automotivo do Estado de Pernambuco (Prodeauto). A empresa também receberá incentivos municipais (isenção de IPTU por dez anos).

SOBRE OS INVESTIDORES – A Shaanxi Automobile Group Co. possui 11 subsidiárias e está listada entre as 200 maiores empresas chinesas, ocupando o 40° lugar entre as companhias mecânicas do país. Possui mais de 13.000 empregados, sendo 2.000 engenheiros. Atualmente produz cerca de 200.000 caminhões e ônibus por ano e distribui seus produtos nos cinco continentes. O nome Shacman resulta da parceria tecnológica firmada entre a SAG e a MAN, do grupo Volkswagen.

Do PE investimento

Empresas de Eike Batista têm prejuízo de mais de R$ 1 bilhão em 2011

As empresas de capital aberto ligadas ao grupo EBX (LLX, MMX, MPX, OGX, OSX e Portx), do bilionário Eike Batista, tiveram prejuízo acumulado de R$ 1,02 bilhão no ano, segundo levantamento da consultoria Economatica divulgado nesta quarta-feira (28).

É o pior começo de ano para as empresas do bilionário brasileiro. Até então, o pior resultado tinha sido registrado em 2010, quando as empresas tiveram perdas de R$ 448 milhões.

A petroleira OGX, com prejuízo de R$ 482,2 milhões, foi a que teve o pior desempenho no 1º trimestre do ano. A empresa anunciou hoje que entregou a primeira carga do óleo produzido em Waimea, na bacia de Campos, à Shell.

A empresa de energia MPX registrou prejuízo de R$ 408,6 milhões e é a segunda pior colocada entre as empresas de Eike Batista com ações na Bolsa.

A OSX Brasil foi a única empresa de Eike a fechar no azul no 1º tri (R$ 7,6 milhões).

O valor de mercado das seis empresas de Eike Batista, até o fechamento da Bolsa nesta terça (27), era de R$ 72,37 bilhões. A OGX lidera, sendo avaliada em R$ 49,4 bilhões.

Coca-Cola prevê investir R$ 14 bilhões no Brasil até 2016

Fábrica da Coca Cola em Pernambuco

A Coca-Cola planeja investir R$ 14,1 bilhões no Brasil até 2016. A cifra será revertida principalmente para a construção de novas fábricas no país, sendo a primeira delas em São Gonçalo (RJ).

O volume apresentado para o período é 50% superior ao total destinado ao país nos últimos cinco anos. Cerca de R$ 3 bilhões do total dos recursos previstos serão investidos já neste ano. O valor representa um crescimento de 8% em relação ao ano passado.

“O Brasil não é o país do futuro e, sim, do presente. Faz todo o sentido acelerar os investimentos para continuar crescendo”, afirma o presidente da Coca-Cola para a América Latina, José Octavio Reyes.

Reyes disse ainda esperar um “crescimento único” nos próximos anos, como resultado das Olimpíadas e da Copa no país. A Coca-Cola é patrocinadora de ambos os eventos.

O Brasil, onde o volume de vendas cresceu 1% em 2011, para 10,7 bilhões de litros, representa hoje o quarto maior mercado da companhia no mundo. O país fica atrás apenas de EUA, México e China

Thor, por Ruth de Arquino

Na mitologia, Thor é o deus do trovão, mestre das tempestades. Na vida como ela é, Thor é filho do homem mais rico do Brasil e de uma de nossas musas de Carnaval. Ele tem 20 anos. Na semana passada, deve ter envelhecido. Thor matou na estrada um ciclista, Wanderson Pereira dos Santos, ajudante de caminhoneiro, de 30 anos.

O filho de Eike e Luma foi acusado de homicídio culposo, sem intenção de matar. Dirigia um Mercedes SLR McLaren, placa EIK-0063, um dos carros do pai, que pode chegar a 334 quilômetros por hora. O carro, de R$ 2,3 milhões, é considerado o nono mais veloz do mundo.

Thor jura inocência. Afirma que a bicicleta de Wanderson surgiu do nada e cruzou “inadvertidamente” a BR-040, estrada entre o Rio de Janeiro e Juiz de Fora. Era noite. Diz que dirigia o Mercedes dentro da velocidade permitida naquele trecho, 110 quilômetros por hora. A versão dos advogados da vítima é diferente: Thor vinha em alta velocidade e atropelou o ciclista no acostamento.

Eike correu para o Twitter para defender o filho, que se comportou “como um cidadão honrado” e “poderia ter morrido pela imprudência” da vítima. Sem Twitter, a mãe de Wanderson também defendeu o filho. Disse que Wanderson fazia esse trajeto sempre e jamais colocaria sua própria vida e a de outros em risco.

Thor de fato agiu direito – não como os playboys já citados nesta coluna. Procurou a Polícia Rodoviária Federal. Soprou no bafômetro, não havia nenhum traço de álcool. Socorreu a vítima, em vez de fugir. Passou mal ao ver o corpo de Wanderson, com uma perna e um braço amputados. Deu assistência à família da vítima. E não se furtou a depor na delegacia. Estava acompanhado de cinco seguranças e três advogados.

Não é o primeiro contratempo na vida de Thor. Em maio do ano passado, atropelou, com um Audi, um senhor de 86 anos na Barra da Tijuca, que também estava numa bicicleta mas sobreviveu. A história foi revelada na sexta-feira, pelo colunista do Globo Ancelmo Gois. Esse senhor, cujo nome não foi divulgado, fraturou a bacia, colocou duas placas e cinco parafusos, fez fisioterapia, hidroterapia. Thor pagou todas as despesas.

No mesmo maio de 2011, a revista Quempublicou entrevista com Thor. Ele foi até seu carro estacionado em frente à casa, um BMW de R$ 770 mil. Deu a partida, pisou no acelerador e convidou a repórter a experimentar: “Está ouvindo o motor? Pisa no pedal”.

Thor acabara de comprar um Aston Martin DBS, conhecido como o carro do agente 007, avaliado em R$ 1,3 milhão, pagos de seu bolso com aplicações na Bolsa de Valores. “Trouxe de São Paulo e cheguei a 280 quilômetros na Dutra (rodovia que liga Rio e São Paulo). Gosto de sentir o carro. Não compro para ostentar a marca, mas porque sei dar valor à máquina que está ali.”

Não consigo entender por que pais ricos incentivam filhos jovens e inexperientes a dirigir máquinas incompatíveis com nossas estradas. Não estamos na Alemanha. Não temos autobahns. Nossas rodovias estão longe da segurança e excelência germânicas. Velhos, crianças, bicicletas, animais atravessam as pistas. O asfalto é ruim, há buracos e cruzamentos perigosos. Dividimos estradas mal conservadas com carros e caminhões velhos, caindo aos pedaços, que deveriam ser apreendidos. É a nossa realidade. Na estrada em que Wanderson morreu, houve 488 atropelamentos em cinco anos.

Sem condenar ou inocentar Thor antes do tempo, sem aderir à grita geral da luta de classes no trânsito, pode-se dizer sem erro que essa tragédia foi uma crônica anunciada, como tantas. Ainda não sabemos o que aconteceu, mas o banco dos réus está lotado.

No Brasil, os pais são condescendentes demais com as infrações dos filhos. Eike disse: “Atire a primeira pedra o motorista que nunca tomou uma multa por excesso de velocidade”. Ora, Thor já tem 40 pontos na carteira. E 11 pontos de outras infrações devem bater em breve. O advogado alega que Thor não sabia e que “outros podem ter cometido as infrações no lugar dele”. Difícil engolir.

Se o Detran leva séculos para suspender um motorista, os pais não deveriam deixar o filho dirigir até regularizar sua situação. Alguém faz isso? Eu faço com meu filho. Enquanto o Detran não cassar sua carteira e obrigá-lo a passar por uma reciclagem, ele não vai dirigir – pelo menos com meu consentimento.

Há outros réus no banco. Governos contribuem com o mau estado e a má sinalização das rodovias. E com a falta de passarelas para pedestres e ciclistas. Motoristas, motociclistas e ciclistas colaboram com a irresponsabilidade. E a Justiça arremata com a impunidade. Ninguém fica preso no Brasil por matar em atropelamento. Ninguém, rico ou pobre. Em nenhuma circunstância.

RUTH DE AQUINO  é colunista de ÉPOCA raquino@edglobo.com.br (Foto: ÉPOCA)RUTH DE AQUINO é colunista de ÉPOCA raquino@edglobo.com.br (Foto: ÉPOCA)

Brasil tem 50 mil milionários, com R$ 434 bilhões aplicados, diz Anbima

Alphaville, um dos bairros mais ricos de São Paulo.

Os brasileiros de alta renda – aqueles com pelo menos R$ 1 milhão em aplicações e atendidos especificamente pelo canal de private banking – somaram 50.602 clientes em 2011 e fecharam o ano passado com R$ 434,4 bilhões investidos nos bancos, segundo levantamento da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), divulgado nesta sexta-feira (23).

Em relação a 2010, foi registrado avanço de 21,6% no volume de ativos sob gestão, praticamente o mesmo ritmo de expansão observado em 2010, quando registrou crescimento nominal de 22,9%.

A Anbima informou que revisou as estatísticas que compõem sua base de dados sobre a atividade de Private Banking e toda a série histórica, que contempla informações desde 2009. “O ajuste foi realizado após a associação detectar, em supervisão de rotina, que uma instituição estava informando de forma equivocada os dados referentes à atividade de private banking”, informou a associação, em comunicado.

De acorco o código de regulação e melhores práticas de private banking, além de capacidade de investimentos mínima de R$ 1 milhão, é necessário que os respectivos clientes sejam
atendidos especificamente pelo canal de private banking.

“Com a revisão, foram excluídos da base de dados R$ 14,6 bilhões em patrimônio líquido, 15,8 mil clientes e 220 profissionais”, informou a Anbima.